Marcas

Mantendo o foco na valorização e diferenciação, o Grupo O Valor do tempo detém treze marcas distintas que, fiéis aos valores do grupo, assentam num legado da história e do património português e honram o passado e as tradições que o tempo conservou.

MUSEU NACIONAL DO PÃO

A visita ao Museu Nacional do Pão é uma experiência de partilha, contacto com a natureza e enriquecimento da Alma.

Inaugurado em setembro de 2002, em Seia, na Serra da Estrela, o Museu Nacional do Pão é hoje uma das maiores referências da museologia em Portugal e o maior complexo dedicado ao tema em todo o mundo. Oferecendo uma experiência multissensorial através da visita às quatro salas temáticas do museu, um bar-biblioteca, uma mercearia tradicional e um restaurante, o Museu Nacional do Pão recolhe continuamente, preserva e exibe objetos e património do pão português nas suas vertentes etnográfica, política, social, histórica, religiosa e artística. A transversalidade do tema “Pão” faz deste espaço um verdadeiro ícone independente de idade, género, raça ou credo.

Do espólio do Museu Nacional do Pão faz parte também a escrivaninha de Fernando Pessoa, onde o poeta se inspirava para escrever as suas obras. Esta peça contribui para levar a arte a todos, numa iniciativa que não apenas promove a descentralização levando a cultura ao interior de Portugal, mas também pela relação das obras com os projetos e a narrativa do Museu Nacional do Pão, para que cada incorporação seja uma mais valia e um contributo útil aos visitantes. Através dos seus heterónimos, Fernando Pessoa conduziu uma profunda reflexão sobre a relação entre verdade, existência e identidade, valores igualmente partilhados pelo Museu Nacional do Pão na sua relação com a comunidade.

CASA PORTUGUESA DO
PASTEL DE BACALHAU

Como forma de aproximar o litoral do interior, a Casa Portuguesa do Pastel de Bacalhau celebra dois ícones da gastronomia Portuguesa: o pastel de bacalhau e o queijo Serra da Estrela DOP.

Sob o mote “É a voz da terra ansiando pelo mar”, do poema D. Dinis, de Fernando Pessoa, e numa grande homenagem aos pastores da Serra da Estrela, nasceu o primeiro espaço da Casa Portuguesa do Pastel de Bacalhau, em 2015, na Rua Augusta, em Lisboa, como forma de aproximar o litoral do interior, celebrando dois ícones da gastronomia Portuguesa: o pastel de bacalhau e o queijo Serra da Estrela DOP. A esta dupla, que junta dois sabores tradicionais numa especialidade única – o Pastel de Bacalhau com Queijo da Serra ®, juntou-se o vinho do Porto, num trio que promete uma verdadeira «Portugal Experience».

Fiel ao seu conceito, existem hoje cinco espaços da marca: em Lisboa, na Rua Augusta, no Castelo de S. Jorge e no elevador de Santa Justa; no Porto, junto à Torre dos Clérigos e em Gaia, no Cais de Gaia, num espaço emblemático que acrescenta, a esta experiência gastronómica, um concerto ao vivo num histórico órgão de tubos, recentemente restaurado para este fim e que data da segunda metade do séc. XIX.

QUINTA DA LAGOA

“Um leite limpo de um rebanho são, dará sempre um grande queijo”. Assim o afirmam, desde tempos idos, os sábios pastores da Serra da Estrela e assim é, desde sempre, na Quinta da Lagoa.

A Quinta da Lagoa, propriedade da Casa Portuguesa do Pastel de Bacalhau, em pleno coração da Serra da Estrela, é um capricho da natureza que oferece as condições ideais para o habitat de seiscentas ovelhas bordaleiras e onde se produz o Queijo com Denominação de Origem Protegida pelas mãos sábias das queijeiras que transformam o leite num queijo 100% natural, com um bouquet muito suave, limpo e ligeiramente acidulado. O Queijo Serra da Estrela DOP foi nomeado uma das 7 Maravilhas da Gastronomia de Portugal em 2011, e o que é produzido pela Quinta da Lagoa foi premiado com a Medalha de Prata “Olimpíadas Itália”.

O domínio da cadeia de valor – exploração de rebanho próprio, produção de leite, produção de Queijo e os espaços da Casa Portuguesa do Pastel de Bacalhau que oferecem a experiência de juntar dois sabores tradicionais numa especialidade única – promove sinergias e permite controlar o processo, garantindo que não se fazem quaisquer concessões ao custo da produção, porque a relevância está toda no respeito pela origem e no respeito pelo consumidor.

COMUR

Inaugurada em 1942 na Murtosa, Aveiro, e adquirida pelo Grupo O Valor do Tempo em 2015, a Comur é hoje uma das maiores bandeiras da indústria conserveira portuguesa.

Inicialmente dedicada à exportação de enguias, a Comur produz hoje cerca de trinta variedades de conservas, minuciosamente trabalhadas pelas experientes mãos de mais de cem mulheres, que transformam os sabores do mar em deliciosas iguarias.

As vinte e duas lojas da Comur em todo o país, nas quais se integram também as lojas d’O Mundo Fantástico da Sardinha Portuguesa, são o palco de uma epopeia, agora recontada em cada conceito e em cada conserva, de forma original.

A antiga fábrica da Comur é hoje um museu onde é possível conhecer a sua história e a origem e o percurso da indústria conserveira Portuguesa.

O MUNDO FANTÁSTICO DA
SARDINHA PORTUGUESA

A rainha de todos os peixes – a sardinha Portuguesa – um peixe simultaneamente nobre e popular, sobe ao trono ostentando a sua coroa nas lojas d’O Mundo Fantástico da Sardinha Portuguesa, onde reina todo o ano.

E que melhor homenagem lhe poderia ser feita, senão através da fantasia do maravilhoso mundo do circo, também ele nobre e popular, estabelecendo o paralelismo com a extraordinária nobreza popular da sardinha?


Outrora uma indústria com rótulos muito festivos e com motivos coloridos e animados que se foram perdendo pelo caminho dando lugar a monótonos rótulos, as latas d’O Mundo Fantástico da Sardinha Portuguesa recuperam e dignificam esse passado colorido e feliz da indústria conserveira. Plenas de cor e fantasia, nas latas de sardinhas constam os anos desde 1916 até à atualidade, assinalando uma efeméride e o nascimento das personalidades mais relevantes desse ano.

MUSEU DA CERVEJA

Aberto ao público em 2012, o Museu da Cerveja é um espaço de contemplação da lusofonia, numa das maiores praças da Europa – o Terreiro do Paço, em Lisboa.
O Museu da Cerveja é simultaneamente um espaço museológico que apresenta a história da cerveja dos Países de Língua Oficial Portuguesa e um espaço de restauração para desfrutar do melhor que a gastronomia Portuguesa tem para oferecer. Como um hino aos saberes e sabores da cerveja, esta é homenageada num imponente altar construído com copos de design exclusivo de um dos mais prestigiados artistas plásticos portugueses do século XX – Júlio Pomar – que assina também «Contos Murais», um painel de azulejos que dá as boas-vindas aos visitantes. O Museu da Cerveja oferece ainda a maior área de esplanada do país, proporcionando a quem o visita momentos únicos de lazer, patrocinados pela incrível luz de Lisboa e pelo Tejo como pano de fundo.

HÄSTENS SLEEP SPA
CBR BOUTIQUE HOTEL

A superlatividade do sono inspirada na Biblioteca Joanina.

No coração da cidade de Coimbra, o Hästens Sleep SPA – CBR Boutique Hotel é uma experiência única e exclusiva em profundo contacto com a história de Portugal e uma homenagem à Biblioteca Joanina, reconhecida como uma das mais originais e espetaculares bibliotecas barrocas europeias. Isso mesmo inspirou a Hästens, a marca de camas mais prestigiada do mundo, a eleger Coimbra para o lançamento mundial da insígnia Hästens Sleep Spa, proporcionando a todos os hóspedes uma experiência de sono superlativa.

A aura da Biblioteca Joanina presente nos espaços eleva-se, assim, no conceito Hästens Sleep Spa, numa ode à cidade de Coimbra e à plenitude do bem-estar.

A BRASILEIRA DO CHIADO

Um dos mais antigos e o mais emblemático café de Lisboa, ponto de encontro dos intelectuais de outrora, é um espaço centenário que preserva o charme e a elegância originais.

Inaugurada a 19 de novembro de 1905, no Chiado, e adquirida pelo Grupo O Valor do Tempo em 2020, A Brasileira foi o cenário de inúmeras tertúlias intelectuais, artísticas e literárias, onde escritores e artistas como Fernando Pessoa ou Almada Negreiros eram presença assídua.

Foi na Brasileira do Chiado que nasceu o termo «bica», que seria a abreviatura de “beba isto com açúcar”, um incentivo para tornar o café (uma novidade na época), mais agradável para os clientes, enquanto lhes criava o hábito e marcava um ritual.

Com sede n’A Brasileira do Chiado, nasceu em 2021 um jornal digital e ao vivo sobre Lisboa – “A Mensagem de Lisboa”, a atestar que a história deste espaço se continua a fazer, com conteúdo, e a dignificar o seu riquíssimo passado cultural.

Com toda a importância que teve na vida cultural do país, A Brasileira do Chiado mantém hoje intacta a sua identidade. Classificada desde 1997 como imóvel de interesse público, é o mais icónico café de Lisboa e um dos três únicos que atravessaram todo o século XX e se mantêm abertos, granjeando o seu posto de destaque entre os locais mais emblemáticos do Chiado, como um dos mais visitados e fotografados de toda a cidade.

MENSAGEM DE LISBOA

Um jornal local digital sobre Lisboa, de Lisboa e para os lisboetas. Todos. Os que moram, nasceram e trabalham em Lisboa, os que chegaram e ficaram, os que partiram e ali deixaram o coração.

Com sede emocional na Brasileira do Chiado e nome inspirado no livro maior de Fernando Pessoa, para sempre sentado na esplanada, silencioso e a observar quem passa, a Mensagem de Lisboa é o lugar das histórias da cidade, a confirmar que o café é um eterno ponto de encontro.

A Mensagem de Lisboa é um espaço digital onde se fala de tudo: dos transportes públicos de Lisboa, da bicicleta e do vaguear pelas ruas, praças, becos e colinas. Fala-se do trabalho e do divertimento, da proximidade, do vizinho e do cidadão. Fala-se de jardins, de chafarizes, da calçada portuguesa e de arte urbana. Fala-se de História e das muitas causas pela causa: Lisboa.

Este projeto nasceu da vontade do Grupo O Valor do Tempo de dinamizar a vida cultural do café A Brasileira do Chiado, devolvendo-lhe o cariz cultural do passado e de um grupo de jornalistas, cronistas, ilustradores e entusiastas que acreditavam que havia muito a fazer no jornalismo local, homenageando a cidade única que é Lisboa. Uma iniciativa que conta com a indispensável colaboração de inúmeros correspondentes de bairro, que conhecem e contam as histórias das muitas zonas de Lisboa como ninguém.

CONFEITARIA PEIXINHO

Fundada em 1856, a Confeitaria Peixinho tem o privilégio e a responsabilidade de ser a casa mais antiga de Ovos Moles de Aveiro.

Os Ovos Moles são a expressão maior da doçaria conventual portuguesa criada pelas freiras da região de Aveiro, numa tradição com mais de cinco séculos.

Fundada em 1856 e adquirida pelo Grupo O Valor do Tempo em 2018, a Confeitaria Peixinho mantém a receita original, garantindo que o mundo os perceciona enquanto o doce fino que sempre foram.

A Confeitaria Peixinho orgulha-se de colocar os Ovos Moles de Aveiro no patamar de excelência, elevação e singularidade que estes merecem, bem como oferece uma outra tradição clássica aveirense, igualmente deliciosa: as míticas Raivas de Aveiro. Duas formas únicas de saborear Portugal, em qualquer parte do Mundo.

JOALHARIA DO CARMO

A filigrana define a identidade de um espaço centenário no coração de Lisboa, a sublimar a arte secular da joalharia tradicional portuguesa.

Fundada em 1924, a Joalharia do Carmo oferecia à elite lisboeta peças exclusivas em prata decorativa e joias, num espaço muito singular. Com uma imponente fachada Art Déco da autoria do arquiteto Manuel Norte Júnior, que assinou também a fachada d’A Brasileira do Chiado, a Joalharia do Carmo é hoje classificada «Loja com História» pela Câmara Municipal de Lisboa e preserva intacta a sua identidade original, continuando a ser uma fiel guardiã da arte da ourivesaria intemporal.

A marca distintiva da fachada, o escudo português sobre a cruz de Cristo inserido num faustoso coração coroado, inspirou o conceito do espaço. Ali brilha a filigrana, numa minuciosa sequência de finos fios de ouro que desenham soberbamente obras de arte da mais fina joalharia portuguesa. Em motivos florais ou marítimos, representações da religião ou a inspiração no amor com os icónicos corações de Viana numa feliz relação com o coração que se impõe na fachada, a Joalharia do Carmo é uma montra de peças únicas que se revelam verdadeiras embaixadoras de Portugal no mundo.

FIGURADO DE BARCELOS

A tradição encontra na obra dos mestres barristas o expoente da arte popular: é o Figurado de Barcelos com laivos de alma portuguesa e de cor, que define a identidade de um povo.

Uma âncora da realidade, num contexto artístico e temático e pleno de incursões criativas: assim se recria o quotidiano minhoto desde o século XX, criando um imaginário em peças certificadas e geradas pelas mãos que moldam o mundo na interpretação da sua realidade.

O Grupo o Valor do Tempo juntou-se aos artesãos desta arte popular, realizando-lhes o sonho de décadas de criar um palco onde as suas peças artesanais ascendem finalmente ao estatuto que merecem, a colorir o nosso imaginário num espaço nobre: uma loja que se abre ao mundo, em plena baixa lisboeta.

A valorização do património é a bandeira que sempre gostámos de hastear para apresentar Portugal ao mundo. Com um orgulho imenso no legado deste país, nas nossas origens e na nossa História, esta parceria é, para o Grupo O Valor do Tempo, mais uma forma de elevar Portugal com o Figurado de Barcelos a juntar-se à festa em cores vibrantes e com a alegria popular, num hino ao que existe de mais genuíno.

CASA PEREIRA DA CONCEIÇÃO

A Casa Pereira da Conceição transporta consigo a magia da Lisboa de outrora, habituada a bem servir e reassume o compromisso de apresentar a todos os que a visitem o que de melhor e mais raro se faz em Portugal.
Fundada em 1933 e adquirida pelo Grupo O Valor do Tempo em 2019, a Casa Pereira da Conceição é, desde sempre, uma das casas de chá e café mais distintas da cidade de Lisboa, em plena Rua Augusta. O agradável perfume a chá e café, cuidadosamente apresentados no mobiliário palaciano com mais de século e meio, convidam também a experimentar os famosos Ovos Moles de Aveiro da Confeitaria Peixinho e as tradicionais Raivas de Aveiro.

SILVA & FEIJÓO

O espaço onde a tradição da antiga confeitaria e doçaria se funde com a tradição da antiga cordoaria portuguesa.

A Silva & Feijóo é uma marca centenária, criada em 1919 e adquirida pelo Grupo O Valor do Tempo em 2006, que se estabeleceu na Rua dos Bacalhoeiros em 1924 (onde ainda hoje se mantém), na Baixa Pombalina.

Mantém a sua génese de loja histórica, com uma coleção vintage de objetos de coleção que convidam a reviver memórias, e com uma oferta diversificada de produtos que representam a gastronomia nacional, num conjunto rico e variado de sabores tradicionais: café, vinhos, azeites e doces regionais, mas também artesanato, saboaria e perfumaria para o corpo e para a casa e lembranças da cidade de Lisboa, confirmando o adágio de que a tradição pode ser o futuro.